0 Banda paranaense Nevilton é escolhida para abrir show do Green Day – Portal Ig Jovem (13.10.2010)

Selecionado em concurso com jurados como Supla e Marimoon, trio promete apresentação intensa, na quarta-feira (20), em São Paulo

Larissa Drumond, iG São Paulo


O trio paranaense Nevilton foi selecionado, entre cinco bandas, para abrir o show do Green Day, em São Paulo, na próxima quarta-feira (20). Chapolla (bateria), Tiago “Lobão” Inforzato (baixo) e Nevilton de Alencar (vocal e guitarra) venceram até a veterana Sugar Kane no concurso musical que escolheria o grupo de abertura. Mas o júri – formado por Supla, Badauí (CPM22), Chuck Hipolitho (ex-Forgotten Boys), Marimoon e Ricardo (da Trama) – gostou mesmo do rock independente de letras fortes e melodia gostosa, feito pelos rapazes de Umuarama.
O grupo de Billie Joe Armstrong não é mais tão presente na vida musical dos três, mas já foi. “O disco ‘Dookie’ rodou na mão de todos os meus amigos; todas as bandas da cidade tocavam ‘She’ e ‘Basket Case’. Vou até gravar um CD só com Green Day e Offspring para escutar de novo”, confessa Nevilton. “Eu tinha uma banda que tocava quatro músicas, eram quatro do Green Day”, diverte-se Lobão.

Hoje, acham difícil dizer do que gostam mais. Cada um dá um toque de suas influências, que variam de hardcore e punk a jazz, MPB e sambas clássicos brasileiros, como Noel Rosa – aliás, o próximo concurso do qual vão participar é realizado pela plataforma Oi Novo Som, em que os concorrentes precisam gravar uma canção do compositor. E foi por causa de um conjunto da década de 40 que o vocalista e o baixista se conheceram. “Lobão tinha uma banda que tocava Pixies e Weezer e eu abri o show no bar só com voz e violão. Toquei uma música do Anjos do Inferno e ‘Bolinha de Papel’, de um sambista chamado Geraldo Pereira. Foi o suficiente para render papo noite afora”, conta.

Rendeu boa conversa, altas risadas e um quinteto, o Superlego, que chegou a integrar a coletânea “Tudo de Novo – Tributo ao Ronnie Von”. Mas logo que passou a trabalhar com músicas próprias, o grupo se dissolveu. Foi aí que Lobão e Nevilton zarparam para Los Angeles, onde tocavam na Universal City e tinham público cativo todas as quartas-feiras no café mexicano Sabor & Cultura. “Foi como se eu tivesse apertado o reset na minha vida”, revela o baixista. Os dois ainda trabalharam como staff em produções e eventos. Por coincidência, conheceram o também paranaense Capilé, vocalista do Sugar Kane, que estava morando por lá na época. “A aceitação era positiva porque Los Angeles é uma cidade como São Paulo: tem bastante gente de fora e as pessoas são sedentas por novidade, ainda mais em relação a música”.

Renovados, voltaram para o Brasil depois de seis meses, em março de 2007. Nevilton começou a publicar todas as composições que tinha desde 2002, quando ainda era estudante do segundo ano do ensino médio. E pareceu justo batizar a banda com o nome de seu vocalista, compositor, arranjandor e criador. “Na volta, resolvemos ter essa formação básica e portátil”, brinca Lobão. O trio migrou, então, da Superlego para a nova Nevilton. Agora só com músicas próprias.

E assim foram chamados para se apresentar em todo o Brasil – inclusive com gente de renome, como Pato Fu, Ratos de Porão, BNegão, Mundo Livre S.A., Tom Zé e Júpiter Maçã. “Depois que voltamos dos Estados Unidos, tivemos uma perspectiva muito profissional de eventos, o que nos animou a fazer as coisas mais profissionais possíveis dentro das limitações financeiras e estruturais”, diz Ton – como é chamado pelos amigos. “Não é porque a gente não tem um avião particular que vai deixar de ir. A gente demorou dias para chegar de carro ao Tocantins, mas deu certo”, completa. Essas viagens estavam dando dor de cabeça para o antigo baterista Fernando, que mantinha um comércio de alimentos congelados em Umuarama. E esse foi o timing perfeito para a entrada de Chapolla, que também estava saindo de uma banda. “Foi muito sincronizado”, comemora Lobão.

Lobão é formado em Direito e Nevilton, em Letras – Chapolla é formado em Bateria, como costumam brincar. Mas todos se dedicam integralmente à música. “A gente acredita que dá para viver assim. Música é só um dos produtos. Existem mil vertentes que podem virar fontes de renda”, explicam. A primeira canção que ganhou videoclipe foi “O Morno” (acima), que também mostra cenas do dia a dia da banda.


Eles pretendem fazer mais cinco videoclipes para o álbum “De Verdade”, que reúne 14 faixas e vai ser lançado em novembro pela Monstro Discos. “Quando penso em um trabalho de longa data, não quero que as pessoas conheçam só duas músicas e depois reclamem que a gente toca um monte nos shows que eles nem conhecem”, diz o vocalista. A ênfase agora é “Pressuposto”, canção tema do EP lançado em fevereiro. “O EP foi um termômetro de reação de público e crítica. A gente saiu em tudo quanto é mídia virtual, grandes jornais e revistas. Depois do lançamento do disco, queremos ficar um ano inteiro fazendo clipes e encontrando maneiras de divulgar todas as músicas”, lembra.

No show de seleção, o trio tocou “Tempos de Maracujá”, “O Morno”, “Pressuposto”, “A Máscara” e “Me Espere, Menino Lobo”. Tudo isso em 20 minutos – o que, normalmente, fazem em 40. “Foi um show bem concentrado, tipo aqueles sucos. Em vez de adicionar água, a gente já serviu direto”, compara Lobão. Se o fato de abrir para uma banda internacional vai ajudar na carreira deles? Bom, o site oficial, que recebia 60 visitas por dia, teve 350 acessos só quando o nome foi divulgado entre os cinco finalistas. “Não somos imediatistas. É uma divulgação boa, uma experiência de tocar num palco bom, com um ótimo som e em um evento grande”, diz Nevilton.

O tempo de repertório ainda não foi combinado, mas os três prometem fazer uma apresentação tão condensada, forte e intensa quanto no final do concurso. “Não estávamos preocupados em vencer, só queríamos nos divertir, envolver as pessoas e fazer com que elas tivessem uma noite boa”, completa.


> Acesse o MySpace da banda Nevilton e fique sabendo das novidades no Twitter!

fonte: http://jovem.ig.com.br/oscuecas/noticia/2010/10/13/banda+paranaense+nevilton+e+escolhida+para+abrir+show+do+green+day+9677055.html

0 Rock’n’Beats : Nevilton vence concurso e abre para Green Day em SP

A Nevilton foi coroada ontem, no Inferno Club, em São Paulo, como a vencedora do concurso que definiria a banda de abertura para o show doGreen Day na cidade, que ocorre no dia 20 de outubro.

Concorrendo com as bandas Punkake, Slot, Enjoy e Sugar Kane, os paranaenses foram escolhidos por um júri que contava com nomes comoChuck Hipólitho, Ricardo (Trama) e Supla.

Com a organização da MTV, o concurso teve trinta bandas inscritas, das quais as finalistas foram selecionadas seguindo os critérios de qualidade e estilo musical.

A partir das influências de artistas como Beatles, Cake, Los Hermanos,Belchior e Pavement, Nevilton de Alencar, Tiago “Lobão” Inforzato e Eder “Chapolla” fazem apresentações empolgantes, e são uma pedida para animar o pessoal na Arena Anhembi antes do trio californiano.



Baixe o EP do Nevilton,

Pressuposto (2010)

fonte: http://www.rocknbeats.com.br/2010/10/08/nevilton-vence-concurso-e-abre-para-green-day-em-sp/

0 Folha Teen : Banda Nevilton vence concurso para abrir show do Green Day em SP

A banda paranaense Nevilton foi a vencedora do concurso da MTV para abrir o show do Green Day em São Paulo, no dia 20 de outubro.

Formada por Nevilton de Alencar, Tiago “Lobão” Inforzato e Eder “Chapolla”, a banda existe há três anos e acabou de voltar de uma temporada em Los Angeles (EUA). O trio toca um rock influenciado por Beatles, Pixies, Cake, Los Hermanos, Belchior, Zé Rodrix, Chico Buarque, Hellacopters e Pavement, entre outros.

A final do concurso aconteceu na última quinta-feira (7), durante uma batalha de pocket shows realizada no Inferno Club, na capital paulista.

Os vencedores competiram com outras quatro bandas: Enjoy, Punkake, Slot e Sugar Kane, que foram julgadas por Marimoon, Supla, Badauí, Chuck Hipolitho e Ricardo (Trama).

Realizado pela MTV, o concurso selecionou, primeiramente, 30 bandas. Na sequência, um júri composto por estrelas da música brasileira definiram as cinco finalistas. O critério para seleção, além da qualidade do trabalho dos artistas, foi o estilo musical da banda.

Divulgação
Nevilton
O trio Nevilton, do Paraná, que vai abrir o show do Green Day em SP

fonte: http://www.rocknbeats.com.br/2010/10/08/nevilton-vence-concurso-e-abre-para-green-day-em-sp/

6 Nevilton mandando “O Meu Sangue Ferve Por Você”, do Sidney Magal – Move That Jukebox! (01.agosto.2010)

Por Alex Correa às 23:38

Em meados de julho rolou a primeira festa da Confraria Pop, em São Paulo, com os shows incríveis do Nevilton e do Apanhador Só. A noite rendeu fotos bonitonas e alguns vídeos que, se eu tiver certo, vão ser lembrados por muito tempo – o primeiro deles, aliás, já foi ao ar aqui, com os Apanhadores incorporando Frank Aguiar ao som de “Morango do Nordeste”. A segunda dose da freakness julina é embalada por “O Meu Sangue Ferve Por Você”, do Sidney Magal (!), que ganhou uma versão quase punk (reparem no refrão) com a mão do Nevilton. É o tipo de coisa que até a sua mãe tem que ver:

A próxima festa da Confraria acontece no final do mês, também em São Paulo, e já tem uma terceira edição marcada pra setembro. Aguardem.

0 Iê-iê-iê moderno – Revista Rolling Stone (23.fev.2010)

Por Fernanda Catania


Nevilton sai de Umuarama, interior do Paraná, para buscar o sucesso com rock indie abrasileirado


foto por: João Gabriel Montero

Misture elementos de música brasileira com um rock de pegada inglesa. Agora, acrescente letras poéticas em português e coloque na voz de um garoto extremamente carismático. Este é o Nevilton, trio de Umuarama (PR), encabeçado pelo vocalista e guitarrista de 22 anos que dá nome ao grupo. Depois de três anos de história, Nevilton de Alencar, Tiago “Lobão” Inforzato (baixo) e Éder “Chapolla” (bateria), que substitui Fernando Livoni desde agosto do ano passado, se preparam para o lançamento do primeiro disco da carreira. Neste mês, a banda disponibilizou de graça na internet o EP Pressuposto (baixe no site oficial), com cinco músicas autorais – todas compostas pelo vocalista -, para aquecer a chegada do álbum De Verdade, previsto para sair no meio do ano. Duas faixas do EP, “Pressuposto” e “Vitorioso Adormecido”, estarão no álbum, que terá 15 músicas no total. A ideia de colocar tudo na internet é uma estratégia de divulgação do grupo. “Claro que não vamos colocar as 15 músicas do disco. Quem gostar do EP vai comprar o CD. E, se a gente não disponibilizasse na internet, alguém ia acabar fazendo isso”, explicou o cantor em entrevista ao site da Rolling Stone Brasil. Além de mostrar o que vem por aí no disco, Nevilton disse que a ideia é levar algo diferente ao público que espera músicas novas. “É muito difícil para mim, acho que você consegue explicar melhor do que eu”, disse o vocalista ao tentar definir a proposta “diferente” de sua banda. Pois é exatamente isso: Nevilton é difícil de explicar justamente por fugir do comum. São três roqueiros que gostam desde rock noventista, estilo Pixies e Nirvana, até música brasileira, como Cartola, Erasmo Carlos, Chico Buarque e o som mais contemporâneo do Los Hermanos. “Ouvir Erasmo me emociona”, confessou o tímido vocalista, que, ao mesmo tempo, é viciado em clássicos do rock, como Led Zeppelin. Nevilton, o homem, prefere simplificar e dizer que o grupo faz um “rock presidencial”. Ele explica brincando: “Esse negócio de música autoral não dá grana. Então, no começo, em vez de comprar cerveja, a gente comprava um conhaque barato chamado Presidente. Aí pegou: fazemos o rock do conhaque Presidente. O Nevilton também pode ser um drink”. Toda essa história é só para dizer que a pegada do trio paranaense lembra a da Jovem Guarda: despretensiosa e divertida – atitude extremamente perceptível quando os três estão no palco. Mais desinibido depois de alguns minutos de conversa, Nevilton deixou a modéstia de lado para explicar o nome do trio: “Eu quis ser o Belchior, ou o Fagner, do grupo”, disse, aos risos. “Na verdade, a gente vinha de uma banda que não tinha dado certo. Como eu quis continuar com minhas próprias composições, era melhor deixar no meu nome porque, caso não desse certo, eu pelo menos não iria desistir”. O cantor se refere à extinta banda de covers Superlego, que ele criou com Lobão em 2005, mas que acabou em um ano de estrada. Logo depois, em 2007, os dois seguiram para Los Angeles, nos EUA, para conhecer de perto o cenário do rock independente local. De volta a Umuarama, colocaram os projetos do Nevilton, o grupo, em prática, junto ao antigo baterista, Fernando. “Deu certo porque estamos em menos gente. Em cinco pessoas a negatividade era maior.” Da papelaria aos estúdios Nos fundos da papelaria de dona Marlene, mãe de Nevilton, há um depósito repleto de cadernos e caixas. Lá fica o estúdio caseiro do trio, localizado em Umuarama e apelidado carinhosamente de “sombrero”, por ser “algo que você pode levar para onde quiser e sempre vai te ajudar, porque tem uma sombrinha bacana”. Para a produção do primeiro disco, o trio abandonou o “sombrero” e partiu rumo a São Paulo, com o objetivo de gravar em “um estúdio de verdade” (no caso, o YB). “Tivemos uma grande experiência. Antes tínhamos menos técnica e talvez até menos dedicação, por não saber tudo o que podíamos fazer”, completou. Agora, com mais maturidade, o grupo paranaense pretende ir longe. Até o lançamento de De Verdade, no meio do ano, os três integrantes viajam em turnê. Em abril, eles tocam no festival Abril Pro Rock, em Recife (PE), e depois emendam uma viagem pelo nordeste. Além de ir atrás de parcerias para emplacar alguns projetos, como a produção de videoclipes, a maior meta do Nevilton para 2010 é aumentar o número de apresentações. “Em 2009 tocamos cerca de 50 shows. O objetivo deste ano é fazer no mínimo cem”.

fonte: http://www.rollingstone.com.br/secoes/novas/noticias/7614/

3 Nevilton lança primeiro clipe da carreira – Rolling Stone Brasil (13.julho.2010)


Nevilton – O Morno from nevilton on Vimeo.

Da redação

“O Morno” faz parte do EP de estreia do trio paranaense, intitulado Pressuposto, lançado no início do ano; assista aqui

O Nevilton lançou, nesta terça-feira, 13, o clipe de “O Morno”, faixa que faz parte do EP Pressuposto, lançado no início do ano. Dirigido e filmado por Gabriel Montero, o vídeo é o primeiro do trio de Umuarama (PR) e mostra eles tocando no Tribos Bar, em Maringá, local onde sempre se apresentam, além de exibir cenas do grupo durante a 2ª Tour Fora do Eixo: Nordeste, feita junto com a banda Mini Box Lunar, do Macapá (AP).

Segundo o compositor e vocalista do trio, Nevilton de Alencar, em entrevista ao site da Rolling Stone Brasil, trata-se de um road movie. “Acho que é uma boa maneira de mostrar a cara pela primeira vez, com cenas de palco e estrada, porque é isso, a banda está completamente na ativa”, explicou. “A ideia é ver o clipe e ficar com vontade de meter o pé na estrada, montar uma banda de rock e sair pelo mundo”, completou, rindo.

fonte: http://www.rollingstone.com.br/secoes/novas/noticias/nevilton-lanca-primeiro-clipe-da-carreira/

1 Nevilton ao vivo nos estúdios Oi Novo Som, no Rio de Janeiro.

Nevilton no Oi Novo Som, RJ.

Neste mês de maio tivemos uma ótima passagem pela cidade maravilhosa! Tocamos no Teatro Odisséia ao lado de ótimas bandas como Tereza, Sitio Brasov, Do Amor e Porcas Borboletas e também fizemos um Ao Vivo nos estúdios da Oi FM! Foi muito bacana… transmitido no site e bastante gente acompanhou! Se você não pode acompanhar no dia, fique tranquilo! A Oi publicou tudo no seu canal… é só separar a pipoca, guaraná e cutir nosso rock no conforto de seus lares!!! rsrsrs

Também dá pra assistir os vídeos aqui embaixo. Espero que curtam! Abraços!

 

0 Nevilton no PodCast Oi Novo Som


No começo estavam um pouco acanhados, mas logo o trio foi encontrando um lugar seguro e animação tomou conta da entrevista. Foram quase 40 minutos de descontração no bate-papo com Tiago “Lobão” Inforzato, baixista; Eder “Chapolla”, bateria e Nevilton de Alencar, guitarra e vocal. Em um entrosamento a olhos vistos entre os três, todos participaram das respostas e interagiram entre si durante as respostas. Brincadeiras à parte, os rapazes do Nevilton mostraram muita maturidade ao falar de composição, equipamentos e mercado musical.

No quadro “O Instrumento”, por exemplo, o trio dá praticamente uma aula sobre equipamentos. Chapolla fala sobre as marcas, peles de baterias e melhores baquetas; Lobão fala de tipos de baixo e contra-baixo, cordas e “formas” de timbres. Já Nevilton abre suas considerações falando do modelos de guitarras que ele curte, além das sonoridades, captadores e cordas que ele usa. Para quem está começando ou mesmo para quem já tira de letra, vale a pena sacar as dicas dos caras, além das curiosidades e trajetória da banda!

Então, acesse Podcast no link Por dentro do Oi Novo Som, ou clique no link Podcast no player da Rádio Oi Novo Som , ouça ou

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

o podcast com a banda Nevilton, que está realmente imperdível!

Por Ruth Miranda.

0 “Passa a Bola, Maromba!” no Rock’n’Beats! Clipe e Diário de Gravações!


Querendo dominar o mundo ou apenas paixão pelos palcos, a verdade é que a banda Nevilton não para de tocar em todo país (sábado, dia 12/06, é a vez de Campinas) e de ser notícia.

Finalista do concurso Levis Music 2010, os paranaenses estão em mais uma final, dessa vez do projeto Versões Oi Novo Som (Músicas sobre futebol) — e já estão com 55 mil votos.

Para encarar a reta final, Nevilton acaba de lançar o clipe de Passa a Bola, Maromba, e escreveu com exclusividade para o Rock ‘n’ Beats contando todo o processo de gravação da música. Confira o clipe e o diário de gravação!

http://vimeo.com/moogaloop.swf?clip_id=12464939&server=vimeo.com&show_title=1&show_byline=1&show_portrait=0&color=&fullscreen=1

Nevilton – Passa a Bola, Maromba! from nevilton on Vimeo.


Diário de gravação por Nevilton Alencar

Se não me engano, o prazo inicial para as inscrições desta edição do Versões Oi Novo Som era dia 15 de março, uma segunda feira. Estavamos na mesma correria de agora, shows quase todos os finais de semana. Inclusive já tem mais de um ano que estamos nessa, né!? Ótimo! Aquele final de semana, anterior ao prazo final, seria o único do mês que não teriamos show… foi esse o escolhido!

Tudo começou com alguns dias antes, uma pesquisa bacana sobre músicas que falassem de futebol, onde tiramos do “fundo da piscina” o disco do Pau Brasil, de 1978, O Samba e Suas Origen. Havia mais de uma música ali que dava pra brincarmos, a dúvida final ficou entre Massagem e Passa a Bola, Maromba. As duas tinham muito bom humor, mas acabamos ficando com o fominha Maromba.

Primeiro passo foi definir qual a “pegada” da versão. Jantarzinho rolando na Neviltonlândia: família reunida, comilança, bebelança e Nevilton e Chapolla longe da turma, trocando idéias munidos de um violão. A meta era manter o bom humor da música, fazer algo que tirasse aquela cara “tão samba”, para que soasse como uma versão mesmo, releitura bacana com outros elementos e características. Acabamos ficando com uma bateria reta e dura remetendo ao groove e funk só nos refrões, onde o coro faria a festa! Decidido isso, convocamos o Lobão fomos para o estúdio.

Já eram boas 11 horas da noite, chegamos nos depósitos da papelaria e sentamos o “Sombrero”. Seis microfones para a batera, testamos os posicionamentos e sons que tiravamos com eles ali… fechado isso, começamos a mandar brasa! Depois de decidirmos qual o andamento da música e gravar o violão e voz guias, Chapolla, exímio baterista, não teve problemas para gravar… em questão de 3 ou 4 takes já tínhamos o que queríamos!

O violão guia, inclusive, acabou sendo usado na introdução da música, com a narração da mais importante partida de futebol de botão da Neviltonlândia, a final do Ton Harmonico Clube contra o XV de Pirapirata, de Lobão, que tem o “Lasanho”, craque da camisa 8 ! hahahaha

Depois da bateria gravada o resto é manteiga! Gravamos rapidinho uma pandeirola para dar um pouco mais de brilho percussivo nos refrões. Já eram boas 3 da manhã quando começamos com a gravação dos baixos. As linhas inicialmente planejadas eram bastante agressivas, deu um trabalhinho para gravamos como gostamos (gravar a faixa inteira num só take, sem aquela historia de muitos remendos, sabe!? rsrsrs) Depois de algum tempo e tentativas conseguimos o que queriamos!

Já era manhã e estava quase na hora do onibus para o Chapolla voltar a Cianorte, Lobão o levou na rodoviária e eu fiquei me divertindo… era chegada a vez das guitarras: comecei com a “stratotele” e seus acordes limpos, abertos e tortos! No refrão, onde rola o swing da batera, para combinar com a bagunça que planejava para os vocais, as guitarras faziam uma linha feliz numa pegada de “guitarrada”.

Ficou uma melodia muito feliz e bem propícia a conversar com a próxima guitarra que gravaria, a Les Paul. Esta já veio mais nervosinha, gravei usando o mesmo amp que gravamos o baixo e a strato: o Marshall brutão do velho Lobo dos mares! Um Bass State 150, amp de timbre encorpado, ligado a um tube screamer, já foi suficiente para a leve sujeira que gostaria de ter na gravina. Depois dessa guitarra, o sol já estava batendo forte la fora, alta manhã… pro mundo inteiro acordar e a gente ir dormir!

Depois de algumas horas de descanso, o Chapolla já estava em Cianorte enviando sms perguntando sobre como ficaram as guitarras, demonstrando sua costumeira ansiedade. O café da tarde foi breve para voltar ao estúdio… liguei para o Lobão e para o parceiro Thiago (do Projeto Marimbondo, também daqui de Umuarama) e combinamos em meia hora irmos para o boteco ao lado da Papelaria onde estavamos gravando! Depois de uma cervejinha e duas doses de conhaque para aquecer o gogó, fomos para o estúdio e começamos com os vocais. Foi bastante simples também, coisa de poucos takes.

Depois da linha principal foi hora dos backings e coro. Backings tranquilos e gritaria da turma: eu, Lobão e Thiago fazendo os “PASSA A BOLA, MAROMBA!”. Pura diversão!
Para fechar as gravações, usamos a garrafa de cerveja do boteco do sr. Canela para dar o último brilho e charme para os refrões… tentem perceber, no lado direito do fone/caixas de som… a garrafinha come solta!

Agora era só desmontar o circo, voltar para casa, mixar antes que o prazo acabasse e torcer para sermos selecionados! =D

E fomos!!!