Baixe diretamente pelo site:

Resenhas na imprensa:

“Nevilton tem a capacidade de unir o peso do instrumento
com a candura dos seus versos.
É quando acertam em cheio.”Pedro Antunes - O Estadão | http://bit.ly/adiantenoestadao

“Com vigor de jam band e algum sotaque blues-rock,
ele dribla a tristeza…”José Flávio Junior - Rolling Stone Brasil | http://rollingstone.uol.com.br/guia/cd/adiante/

“Tudo funciona e se encaixa à perfeição neste disco de Nevilton. Recomendadíssimo em tempos obscuros e obscurantistas como os nossos.”Carlos Eduardo Lima - MonkeyBuzz | http://bit.ly/AdianteMonkeyBuzz

“Você se sentirá mais vivo, acolhido, esperançoso. Adiante tem esse poder.
As treze canções fomentam a esperança interna.
Tornando mais vivo quem ouça-as.”Davi Costa - Epilogo.art | http://epilogo.art.br/adiante-terceiro-disco-nevilton/

“O pop rock nacional ganha bastante fôlego com esse trabalho…”Fagner Morais - Music On The Run | http://bit.ly/adiantemotr

“Poucos artistas brasileiros parecem capazes
de produzir um som tão honesto e certeiro
quanto o paranaense Nevilton”Cleber Facchi - Miojo Indie | http://miojoindie.com.br/resenha-adiante-nevilton/


Texto de Apresentação:

Depois de lançar um EP que abriu muitas portas e levou o nome “Nevilton” a várias publicações e programações de casas e festivais de música pelo Brasil afora, dois discos com boas estruturas e colaborações que renderam um Prêmio Multishow e duas nominações consecutivas ao Grammy Latino, tudo o que eu queria é que todo esse tempo para um próximo disco fosse apenas “pressão para fazer um disco ainda melhor”, alguma loucura de superação, bloqueio criativo, crise com estilo de vida e autocontrole nessa vida maluca… mas não foi nada disso.
 
Depois de mais uma mudança na banda que vinha sendo fixa, minha música passou anos flutuando entre diferentes formatos de apresentação, muitas novas parcerias, reconsiderações sobre como tocá-las, ouví-las, pensá-las, um montão de trabalho que, paralelo ao fardo de “manter-se vivo e longe de grandes dívidas sendo artista/músico no Brasil” quase que me ancoraram. Por pouco me deixei parar de vez. Quando me dei conta já havia passado 3 anos e eu ainda não tinha lançado nada novo além de algumas versões e releituras em tributos e coletâneas por aí.
 
Por sorte estava ao lado de parceiros muito preciosos que me ajudaram e inspiraram a selecionar, fechar um repertório e arranjos; dar mais um passo: um “novo do Nevilton”. Com meus irmãos-que-a-vida-deu, Tiago Lobão nos baixos e André Dea na bateria, gravei cuidadosa e quase artesanalmente as 13 faixas que você vai ouvir aqui. Foram muitas horas no Sombrero (meu homestudio), no Estudio Flamingo, do nosso caro amigo Rafa Laguna e umas belas sessões de masterização com o André Castro, lá em Lisboa. Também tive a sorte, alegria e honra de contar com Michel Machado na percussão de várias músicas, um tostão das vozes de Thadeu Meneghini (Vespas Mandarinas) e Jajá Cardoso (Vivendo do Ócio) na canção que dá nome ao disco, teclas do mestre Marconi de Morais e sax barítono de Esdras Nogueira na faixa “Lua e Sol”… dizendo isso você já pode imaginar que “soar como um Power Trio” não foi preocupação neste trabalho. Investidas em violão, teclas, muita voz e percussão (até um solinho de flauta!) fizeram parte dessa louca busca de trazer mais texturas, vida e cores para minha música. Falando em cores: o estudio Caxa, dos primos Vitor e Renato Brito somaram lindamente com a ilustração para a capa, traduzindo visualmente um tanto da intenção ao gravar este disco: envolver quem escute, melhorar quem o viva, abraçar quem precise, encher de orgulho quem participa dessa história e deixar na boca de todo mundo a vontade de mais um gole.
 
E assim, no dia do meu aniversário, 24 de Novembro de 2017, dou a mim e a vocês este presente. De peito aberto e coração a mil vos apresento: Adiante!

Ficha Tecnica:
Gravado entre 2015-2017 nos estúdios Sombrero e Flamingo, São Paulo, SP.
Nevilton de Alencar – vozes, guitarras, violão, baixo, teclas, flauta, percussão e programações.
Tiago Lobão – baixo nas faixas 1, 3, 5, 6, 7, 8, 12 e 13.
André Dea
 – bateria e percussão.

Michel Machado – percussão nas faixas 2, 4, 5, 9 e 13.
Esdras Nogueira – sax barítono na faixa 2 (“Lua e Sol”)
Marconi de Morais – teclas na faixa 2 (“Lua e Sol”)
Thadeu Meneghini – vocal na faixa 12 (“Adiante”)
Jajá Cardoso – vocal na faixa 12 (“Adiante”)

Mixado por Nevilton de Alencar no Sombrero, São Paulo, SP.
Masterizado por André Castro no estudio Voodoo Mastering, Lisboa, Portugal.
Arte gráfica por Vitor Brito e Renato Mamede, Estúdio Caxa, São Paulo, SP.
Distribuido por OneRPM.

Todas as músicas são de autoria de Nevilton de Alencar, exceto “Valsinha” que é de autoria de Nevilton de Alencar e Tiago Lobão.