Back to the top

14/11/2007


O projeto mineiro de breakbeat Retrigger abre o programa desta semana, com “Duck You Sucker!”. Comandado por Raul Costa Duarte, o Retrigger traz influências da IDM do Squarepusher e do rock garageiro dos Sonics e Kingsmen.

Os Canibais foram uma das bandas-base de acompanhamento de diversos artistas da Jovem Guarda em shows ao vivo e programas das antigas TV Rio, TV Tupi e Rádio Nacional. De volta à ativa, eles exploram referências aos Beatles e Byrds em seu trabalho autoral, como na faixa “Amigos do Peito”.

Guizado é o trabalho solo do trompetista Gui Mendonça. Escolado acompanhando nomes como Curumim, Lucas Santtana e Bruno Moraes, ele desenvolve seu lado multiinstrumentista em um hip hop instrumental de primeira. É dele “Vermelho”, que aparece na seqüência.

Em seguida temos “Ballet da Vida Irônica”, do paranaense Nevilton, um dos maiores fãs do podcast TramaVirtual, que também faz um som bem interessante. Para terminar, rola “Inferninho”, do Fruet Soundtracks, projeto do produtor Marcelo Fruet destinado a trilhas-sonoras e experimentos audiovisuais.


fonte: http://radio.musica.uol.com.br/tramavirtual/2007/11/16/ult4175u47.jhtm

20

Rolou um Destaque no Tramavirtual!!!

Só para constar as boas novas:

Segunda feira, 12 de novembro, rolou um “joínha” ao lado do nosso nome lá no Tramavirtual!!! fazemos parte daquela “pequena lista” de Destaques lá!!! rsrsrsrs

e ainda no mesmo dia rolou “Luz demais pr’eu dormir” de trilha no Musicomania da Cesumar Fm, também de Maringá (será que nossa casa é Umuarama mesmo!???!rsrsrs)… valeu Carol!!!
tudo de bom!!!

13

” Na noite de sábado a melhor pedida para o humano em busca de guitarras amplificadas, em Goiânia, era mesmo o Release Alternativo, festival preparado lá no Martim Cererê pela Fósforo Records. Queria ver o londrinense Nevilton em ação, já que parte do repertório do paranaense girou bem nas minhas caixas de som na semana passada, e os rocks dançantes do “Diego-de-Moraes-deles” aguçaram minha curiosidade. Na esperta Máscara, o rapaz encontrou o melhor momento do show, numa profusão pesada de guitarras jovem-guardianas e bailado acelerado, e ainda que nem todas as peças do show do jovem mancebo tenham a mesma pegada e o mesmo veneno, ele e a dupla que engrossava o caldo no baixo e bateria conseguiram a atenção das cinco ou seis dezenas de pessoas que serviam como platéia e aplaudiam e assobiavam com a empolgação de uma boa descoberta.”

por Hígor Coutinho
http://goianiarocknews.blogspot.com/2007/11/me-liga.html

28
© WolfThemes